Brasil

Eleições 2020: confira as principais alterações legislativas nas regras eleitorais

As leis nº 13.877 e nº 13.878 modificam processos do pleito e o funcionamento dos partidos políticos

Urna eletrônica – Foto: Nelson Jr./ ASICS/TSE

Com informações do TSE

As Eleições Municipais de 2020 serão diferentes devido as mudanças que alteram regras eleitorais. Já estão em vigor as Leis nº 13.877/2019 e nº 13.878/2019, que modificam processos do pleito e o funcionamento dos partidos políticos.

As alterações foram sancionadas pelo Poder Executivo e publicadas um ano antes do próximo processo eleitoral, que será no dia 4 de outubro deste ano, respeitando o princípio da anualidade, fixado pelo artigo 16 da Constituição Federal.

A Lei nº 13.887 foi sancionada no dia 3 de outubro de 2019. Já a sanção da Lei nº 13.877 ocorreu no dia 27 de setembro de 2019. Esta última contou com vetos do presidente da República, Jair Bolsonaro, em alguns trechos do texto.

Os vetos foram analisados pelo Congresso Nacional, em sessão conjunta, no dia 27 de novembro do ano passado. Os parlamentares mantiveram um veto e derrubaram sete. A promulgação dos vetos foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) no dia 13 de dezembro de 2019.

Saiba as principais alterações na legislação eleitoral para o próximo pleito:

Doações para partidos políticos

Segundo a Lei nº 13.877, os partidos políticos poderão receber doações pelo seu site na internet, por meio de plataformas que permitam o uso de cartão de crédito, de cartão de débito, de emissão on-line de boleto bancário ou de convênios de débitos em conta.

Fundo Eleitoral

Com relação à distribuição dos recursos do Fundo Eleitoral entre os partidos políticos, para o primeiro turno das eleições, o texto da Lei nº 13.877 acrescenta parágrafos vinculados aos incisos III e IV do artigo 16-D da Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições). Os incisos dispõem, respectivamente, que: 48% das verbas do Fundo Eleitoral deverão ser divididos entre os partidos, na proporção do número de representantes na Câmara dos Deputados, consideradas as legendas dos titulares; e 15% deverão ser repartidos entre as legendas, na proporção do número de representantes no Senado Federal, consideradas as agremiações dos titulares.

Já o inciso III, dispõe a distribuição dos recursos entre as legendas, que terá por base o número de representantes eleitos para a Câmara dos Deputados na última eleição geral, ressalvados os casos dos detentores de mandato que migraram em razão de o partido pelo qual foram eleitos não ter cumprido os requisitos previstos no parágrafo 3º do artigo 17 da Constituição Federal.

Em relação ao inciso IV, a distribuição dos recursos entre os partidos terá por base o número de representantes eleitos para o Senado Federal na última eleição geral, bem como os senadores filiados à legenda que, na data da última eleição geral, se encontravam no primeiro quadriênio de seus mandatos.

Pela lei, os partidos que não quiserem receber recursos do Fundo Eleitoral poderão comunicar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até o primeiro dia útil de junho do ano eleitoral. O texto proíbe a redistribuição da verba objeto da renúncia aos demais partidos.

Limite de gastos

A Lei nº 13.878 estabeleceu os limites de gastos de campanha para as eleições municipais. O valor máximo para prefeito será equivalente ao limite para os respectivos cargos nas eleições de 2016 atualizado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), aferido pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ou por índice que o substituir. Nas campanhas para segundo turno das eleições para prefeito – onde houver –, o limite de gastos de cada candidato será de 40% do limite previsto na Lei.

Registro de partido

A Lei nº 13.877 também permite que o requerimento de registro de partido político seja dirigido ao Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas localizado na sede da agremiação, e não mais no Registro Civil das Pessoas Jurídicas em Brasília.

Autofinanciamento

O texto da Lei nº 13.878 também introduziu um limite para os investimentos que os candidatos podem fazer em suas próprias campanhas. O autofinanciamento poderá ser realizado até o total de 10% dos limites previstos para gastos de campanha no cargo concorrido.

Pagamentos de honorários

Está previsto na Lei nº 13.877 que o pagamento de honorários advocatícios e de contabilidade no curso das campanhas poderá ser realizado também com recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), o Fundo Eleitoral.

De acordo com o texto, as legendas poderão contratar, com as verbas do Fundo Partidário, serviços de consultoria contábil e advocatícia, para atuação jurisdicional em ações de controle de constitucionalidade e em demais processos judiciais e administrativos de interesse partidário, bem como nos litígios que envolvam candidatos do partido, eleitos ou não, desde que relacionados exclusivamente ao processo eleitoral.

Além disso, a lei exclui dos limites de gastos de candidatos e partidos as despesas advocatícias e de contabilidade em campanhas eleitorais que possam ser individualizadas. Também exclui os limites que possam impor dificuldade ao exercício da ampla defesa.

Bens

Com base na Lei nº 13.877, as legendas também poderão usar os recursos do Fundo Partidário para compra ou locação de bens móveis e imóveis, assim como para a edificação ou construção de sedes e afins. Também os recursos poderão ser utilizados para a realização de reformas e outras adaptações nesses bens.

Impulsionamento

Com relação à atividade eleitoral, a Lei nº 13.877 permite ainda que as agremiações contratem, com o dinheiro do Fundo Partidário, o impulsionamento de conteúdos diretamente com provedor de aplicação de internet com sede e foro no Brasil.

Download Premium WordPress Themes Free
Download Best WordPress Themes Free Download
Download WordPress Themes
Download Best WordPress Themes Free Download
udemy paid course free download
download lenevo firmware
Download Premium WordPress Themes Free
udemy course download free


Receba nossas principais notícias em seu celular.


ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidos pelo whatsapp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Leia Também

Atletas de rugby da Guairacá são contemplados com o Bolsa Atleta da Secretaria Especial do Esporte

Guarapuava

Atletas de rugby da Guairacá são contemplados com o Bolsa Atleta da Secretaria Especial do Esporte

Ascom Faculdade Guairacá Seis atletas da equipe Lobo Bravo Faculdade Guairacá Rugby foram contemplados pelo programa...

Disque Idoso registra aumento de 80% nas denúncias

Paraná

Disque Idoso registra aumento de 80% nas denúncias

24-01-2020  –  12h Dircom Alep 1.528 denúncias foram registradas pelo Disque Idoso em 2019. A grande maioria...

Prefeituras poderão receber recursos para projetos de eficiência energética

Brasil

Prefeituras poderão receber recursos para projetos de eficiência energética

24/01/2020 – 08:26:50 Agência Senado Atualmente, a lei determina que 0,75% da receita operacional líquida das...

Projeto assegura atendimento domiciliar pelo SUS a pacientes com mobilidade reduzida

Brasil

Projeto assegura atendimento domiciliar pelo SUS a pacientes com mobilidade reduzida

23/01/2020 – 16:45:47 Agência Câmara Notícias O Projeto de Lei 6152/19 assegura a pacientes com mobilidade...

Acig e Energisa premiam empresas e residências com as decorações natalinas mais bonitas de Guarapuava

Guarapuava

Acig e Energisa premiam empresas e residências com as decorações natalinas mais bonitas de Guarapuava

23-01-2020 – 12h Decom Acig Promovido pela Acig, com o apoio da Energisa, o Concurso Brilha Guarapuava 2019...

Projeto estimula empresas a comprar livro acadêmico para estagiário

Brasil

Projeto estimula empresas a comprar livro acadêmico para estagiário

23/01/2020 – 08:28:26 Agência Câmara Notícias Segundo a proposta, que está em análise na Câmara dos...