Search
Close this search box.

Professores do Paraná protestam contra redução das aulas de Arte no Ensino Fundamental

Medida afeta estudantes dos 8° e 9° anos da rede estadual de ensino

Foto: Divulgação

10/01/2023 – 11:28:54

Redação

Na manhã desta terça-feira (10) professores de todo o estado se mobilizaram para protestar contra a decisão do Governo Estadual que extingue a disciplina de Arte dos currículos dos alunos dos 8° e 9° anos do Ensino Fundamental a partir deste ano. A matéria será substituída por uma nova disciplina, chamada Pensamento Computacional. 

“O movimento partiu da Aproap, que é a Associação do Professorado de Arte do Paraná, então alguns membros desses grupos criaram um grupo de WhatsApp e os professores de arte do Paraná foram entrando e foi deles que partiu essa ação do ato hoje. Então o intuito do ato é ele acontecer em todos os Núcleos Regionais de Educação do Paraná e também na Seed [Secretária da Educação e do Esporte] em Curitiba”, explicou a professora Vanessa Willeman, que participava do ato em Guarapuava.

Denominado #ficaartePR, o movimento foi organizado para ocorrer de maneira coordenada em todo o Paraná, o ato reuniu educadores, estudantes, artistas e apoiadores nas diversas cidades do estado. Em Guarapuava, os manifestantes se concentraram na rua XV de Novembro, em frente à Pernambucanas, e seguiram coletivamente ao Núcleo Regional de Educação. Os participantes do ato usavam roupas pretas e carregavam lenços coloridos. A mobilização contou com performances artísticas e falas de professores em defesa da permanência da disciplina na grade curricular do Ensino Fundamental.

A manutenção da matriz curricular com aulas de Arte nas séries da Educação Básica é o mínimo que um governo precisa fazer para garantir o direito dos/as estudantes. A Arte é fundamental na formação integral que defendemos. Por meio dessa disciplina, crianças e jovens desenvolvem a observação, a capacidade de absorver a estética, a sensibilidade do Belo, dos períodos históricos e sociais, além de poder desenvolver o seu talento individual, seja pra música, dança, teatro e artes plásticas”, disse a vereadora Professora Terezinha (PT), que defende a educação pública e participou do ato em Guarapuava.

Segundo a imposição do Governo Estadual, apenas escolas diversificadas, integrais e cívico-militar – cerca de 10% da rede pública – continuarão com a matéria de Arte na grade curricular nos 8° e 9° anos do Ensino Fundamental. Para os estudantes que estavam presentes no ato em Guarapuava, a retirada da disciplina “é algo muito prejudicial para os alunos, principalmente por nos dizer que a prioridade é o ensino técnico”.

A vereadora Prof.ª Bia (MDB), que tem a educação como uma de suas principais bandeiras, manifestou apoio aos atos em todo o estado e defendeu que o ensino da Arte é fundamental para a formação dos estudantes.

“Com toda certeza apoiamos os professores e professoras de arte nesta mobilização. A arte não é apenas um componente curricular, ela é uma forma de viver. Como professora por mais de 30 anos, eu vi na prática a diferença na formação de alunos que estão em contato com diferentes artes daquelas que conhecem e também o quanto se sentem valorizados quando é a sua arte que está no coletivo. Então sempre defenderemos não somente como disciplina, mas como um meio de viver em sociedade. A arte e as artes são fundamentais para a nossa vida”, disse a vereadora.

Leia Também