OPINIÃO

A saga dos comissionados – Parte II: a Prefeitura

Imagem: Daily Advisor

Semana passada eu pesquisei e comentei sobre os valores gastos com a remuneração dos ocupantes de cargos em comissão (chamados cargos de confiança) na Câmara de Vereadores – Clique aqui e confira.  Agora vamos desvendar como estão esses gastos na Prefeitura de Guarapuava!

De acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias vigente (Lei nº 2827 de 2018), a despesa com cargos comissionados é limitada até 8% do total gasto com pessoal (RH). Mas quanto isso representa atualmente?

O Portal de Transparência indica que hoje existem 184 cargos em comissão no Executivo local, com salários que vão de R$ 1.500,00 até R$ 10.879,00.

São 148 assessores, 18 assessores especiais, 11 chefes de departamentos, um chefe de gabinete, quatro diretores, um ouvidor e um procurador-geral. Todos esses cargos juntos consumem a quantia de R$ 732.128,00 por mês.

No ano o valor gasto com a remuneração dos comissionados é de R$ 9.517.664,00. Se os números forem mantidos, durante os quatros anos, do mandato atual, chegaremos a quase R$ 40 milhões gastos com pagamentos aos comissionados.

Tem mais? Sempre tem.

Nos números acima, não estão computados os quinze secretários. O primeiro escalão do governo municipal consume todo mês a quantia de R$ 148.626,10. No ano, o gasto é de R$ 1.932.139,30.

Se somarmos os dois montantes, teremos o gasto total com os 198 cargos de confiança do prefeito. A cada mês o valor gasto é de R$ 880.754,10 e no ano chega a R$ 11.449.803,30.

Vale dizer que o Centro de Especialidades, que está abandonado, custou 13 milhões. O Aeroporto, reza a lenda, custará 10 milhões reais. Essas obras não foram feitas com recursos do município, mas são exemplos de investimento relevantes (claro, se funcionarem) que custaram quase a mesma coisa que gastamos todo ano com os comissionados.

Vale comparar: Ponta Grossa possui 350 mil habitantes e tem 237 cargos comissionados. Se a Prefeitura de lá tivesse cargos comissionados na mesma proporção que Guarapuava, hoje aquele município teria 385 pessoas em comissão. Colombo tem 240 mil habitantes e aproximadamente 234 comissionados, mas, se seguisse a média de Guarapuava, chegaria perto dos 270. Toledo, que tem apenas 140 mil habitantes e hoje emprega 120 comissionados, “guarapuavanando-se”, teria 153.

Na comparação com esses três municípios, Guarapuava está com um número superior de contratações comissionadas.

Na gestão 2009/2012, Guarapuava contava com aproximadamente 150 cargos de confiança, número que já havia sido considerado excessivo na época. Na gestão seguinte, 2013/2016, ficamos entre 160 e 170 cargos comissionados, mas agora, nessa gestão atual, batemos o recorde histórico de 198.

A Exemplo do que foi realizado pelo Governo Federal e, em menor escala, pelo Estado do Paraná, a melhor solução para gerar economia em relação aos gastos do pessoal comissionado é a utilização de servidores de carreia para o preenchimento de alguns cargos de confiança, pois o remuneração base é mantida, gastando-se a mais apenas o valor de gratificação.

A fusão de pastas também é um caminho a ser seguido. Algumas das quinze secretarias existentes possuem muitas afinidades e poderiam ser unificadas, diminuindo não só o número de secretários, mas também de assessores.

A automação e a tecnologia também são formas eficazes de diminuir a mão-de-obra, já que permitem a diminuição de procedimentos humanos, além de agilizar os serviços demandados da Prefeitura.

Certo é que, após tantos traumas políticos experimentados por nós brasileiros, não há mais espaço para a gestão pública errar. A economia de recursos, eficiência, boa gestão, inovação, automação – coisas que são tão comuns para a iniciativa privada – precisam penetrar de vez no setor público e aprimorá-lo.

São novos tempos. Precisamos de novas formas!

Fonte de dados: http://www.guarapuava.pr.gov.br/portal-da-transparencia/prefeitura-municipal/pessoal-2/

Download WordPress Themes
Free Download WordPress Themes
Download Premium WordPress Themes Free
Premium WordPress Themes Download
lynda course free download
download mobile firmware
Download Nulled WordPress Themes
online free course

LEIA TAMBÉM

Retrofuturismo, paradoxo temporal e políticas educacionais – Parte 2

Partindo do pressuposto que os caros leitores do iPolítica já acompanharam a primeira parte deste texto, abrevio as...

Tenho esperança

Compreender porque personalidades tóxicas, com decisões equivocadas, irresponsáveis e incendiárias, conseguem se sobrepor em...

A saga dos comissionados – Parte II: a Prefeitura

Semana passada eu pesquisei e comentei sobre os valores gastos com a remuneração dos ocupantes de cargos em comissão (chamados...

O pessimismo e seu veneno

Acreditar é preciso. Não sem algumas reservas e questionamentos. Acredito que uma das tarefas imposta aos homens de boa vontade...