OPINIÃO

Corona: em quem acreditar?

Imagem: Pixabay

25/03/2020 – 12:49:49

A OMS, no Boletim 64/2020, informou que existem 372.757 casos confirmados de infecção por COVID-19, sendo que foram 39.827 os novos casos nas últimas 24h. Até agora o planeta acumula 16.231 mortes causadas pelo vírus sendo que, destas, tivemos 1.722 ocorridas nas últimas 24 houras.

Aqui no Brasil, o Ministério da Saúde alerta que uma pessoa infectada transmite a doença para outras duas ou três. Considerando o período de incubação (5 dias) e de transmissibilidade (7 dias), em um mês, enquanto essa pessoa se cura, outras 120 estarão ou serão infectadas. Se não frearmos o vírus, muito em breve o número de doentes chegará à casa dos milhões e o de mortos também se multiplicará.

O mundo todo está em alerta e sofrendo, não apenas eu e você, e não apenas com a doença, mas também com a crise econômica que inevitavelmente a acompanha. Os maiores líderes do planeta estão integralmente dedicados a causa. As mais importantes autoridades sanitárias, epidemiológicas e médicas não cansam de dizer: fique em casa, é realmente perigoso!

Os médicos, inclusive o meu e o seu, nossos amigos da área da saúde, todos sem exceção, dizem que a doença é perigosa e que não temos leitos de UTI e nem respiradores mecânicos para suportar a pandemia e, por isso, se ela chegar forte, vai matar muitos.

É fato inegável que no Brasil temos apenas 15 mil leitos de UTI e que eles já estão 95% ocupados. É dado, não é achismo, que em Guarapuava temos apenas 30 leitos de UTI e somente 22 com respiradores e que eles estão 100% ocupados. Como vamos dar chance de vida aos atingidos pelo COVID-19 se não ajudarmos na contenção?

Várias entidades médias do Brasil reforçam a gravidade da situação. A Associação Brasileira de Saúde Coletiva disse que a fala governamental amenizando a doença foi “intolerável, irresponsável, incoerente e criminosa” e que ela “nega o conjunto de evidências científicas que vem pautando o combate à pandemia da COVID-19.”

A Sociedade Brasileira de Infectologia considerou que as declarações podem dar a falsa impressão sobre a situação e classificou a pandemia como “grave”, lembrando que ela traz 800 mortes por dia na Itália.

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia disse que qualquer medida que diminua o isolamento da população será “extremante prejudicial” para o combate à Covid-19.

Associação Paulista de Medicina afirmou que, “se a intenção foi acalmar, a reação da sociedade mostra que o Governo Federal não alcançou seus objetivos” e que não se traz esperança minimizando o problema, mas reforçando as soluções.

Diante de todas essas informações, me diga, em quem você vai acreditar?

Estamos todos, de uma forma ou de outra, evitando contato social e colaborando para sairmos rapidamente dessa crise sanitária. Nós, cidadãos comuns, estamos muito preocupados, mas serenos e esperando a solução que só virá mesmo com o tempo. Não estamos histéricos – a única pessoa que está personificando a histeria é o próprio Presidente.

O que mais queremos é uma liderança prudente, que use a inteligência e seja comprometida com a razão e com a manutenção da integridade do povo brasileiro, que compreenda os fatos e acate a ciência, que seja estratégica, que nos mostre uma saída, segura e razoável, na qual possamos acreditar – nos dê isso, Presidente, por favor, nos dê isso.

Até lá, fique em casa.

 


por:

João Nieckars

Advogado, economista e professor de direito empresarial

Ver mais colunas

LEIA TAMBÉM

Corona: em quem acreditar?

25/03/2020 – 12:49:49 A OMS, no Boletim 64/2020, informou que existem 372.757 casos confirmados de infecção por COVID-19,...

E se descumprir as medidas para contenção do Coronavírus?

20/03/2020 – 11:13:32 Todos já percebermos que, com a pandemia do novo Coronavírus, os governos Federal, estaduais e...

SUS: os desafios da saúde pública

18/03/2020 – 09:54:05 O SUS é um conjunto de ações e serviços de saúde prestados por órgãos e instituições...

Quanto custa o seu Vereador?

17/03/2020 – 09:40:20   A resposta mais óbvia é o valor do salário que o Vereador recebe, de R$ 9.252,72 – a...