OPINIÃO

O que falta para a saúde pública em Guarapuava dar certo é boa vontade

Assista essa coluna

07/10/2021 – 14:17:09

João Nieckars

Quando falo isso me refiro a maioria esmagadora dos políticos daqui, especialmente aqueles que têm mandatos, aos eleitos do nosso município, do prefeito atual e do prefeito anterior. Me refiro também aos três deputados estaduais fantasmagóricos que temos.

Vejam bem, a saúde pública de Guarapuava é um imenso problema para a população e já teve dias muito melhores. Chegamos a contar com seis hospitais na cidade. Lembram?

O Hospital Nossa Senhora do Belém fechou, o São Judas fechou também, o São Marcos fechou e o Pronto Socorro da Lagoa das Lágrimas, onde hoje é a Policia Federal, foi o primeiro a cerrar as portas.

Hoje temos dois, o São Vicente de Paulo e o sofrido e querido Instituto Virmond, o nosso eterno Hospital Santa Tereza. E só!

Doutro lado, o Hospital Regional, que deveria ter ficado pronto em 2017 segue atendendo apenas Covid, como hospital de campanha, e o Centro de Especialidades, o lendário Centro de Especialidades, que foi inaugurado duas vezes, está todo equipado, custou 13 milhões de reais e segue fechado!

Aí é que vem a tal falta de boa vontade!

Em 2016, antes da reeleição do Cesar para o segundo mandato como prefeito, o ex-governador e ex-preso, Beto Richa, esteve aqui em Guarapuava e inaugurou o dito Centro de Especialidades.

Dois anos depois, em 2018, a ex-governadora, Cida, veio para Guarapuava e inaugurou pela segunda vez o Centro. Mesmo com duas inaugurações o espaço continua fechado e criando mato a 5 anos. 

Em 2019 um dos diretores da SESA veio a Guarapuava para uma audiência pública sobre saúde chegou a dizer que o Rato não iria mandar o valor 600 mil/mês de recursos para custeio do espaço porque “não foi o Ratinho que prometeu, foi o Richa”. Detalhe, no mesmo mês em que cortou essa verba de Guarapuava o Governo do Estado anunciou o aumento de quase 1,7 milhão por mês para a saúde de Foz do Iguaçu.

Mais que isso, se de um lado o Estado diz que não tem 600 mil por mês para custear o Centro, doutro ele concederá 18 bilhões de reais em isenções fiscais para grandes empresas ano que vem. A conta não fecha.

Nessa pandemia sentimos na pele o tamanho do sofrimento que a falta de estrutura de saúde pública pode gerar: falta de leitos e gente nos corredores das UPA’s e hospitais esperando para ser internada, familiares e doentes aguardando atendimento na frente das unidades de saúde durante o inverno e com chuva na cabeça, falta de médicos e filas imensas. Até queda de energia e gerador de luz que não funcionou na UPA do Batel, com servidores tendo que realizar respiração nos entubados com aparelhos manuais porque sem luz os respeitadores mecânicos não funcionavam. Você consegue aceitar esse caos?

Pois bem, sabendo e sofrendo por tudo isso é que a comunidade desde sempre cobrou melhorias na prestação dos serviços de saúde pública e sempre foi ignorada. O antigo e o atual prefeito, assim como os três deputados da região, sempre foram da base aliada ao ex-governador e ex-preso, Richa, da Cida e do atual, o Rato. Comeram na mão dos governadores nos últimos 10 anos.

Agora te pergunto, essa amizade linda deles trouxe a solução para o problema da saúde pública aqui na cidade? Ou melhor, você lembra de alguma vez que que essa gente tenha feito um movimento firme para cobrar o Governo do Estado, de que sempre foram tão íntimos, para botar o Centro de Especialidades e o Regional para funcionar?

Agora chegamos a mais um capítulo dessa história que parece não ter fim, já que ontem (6), o prefeito Góes se mexeu um pouco e esteve um Curitiba pedindo ajuda para o Beto Preto, Secretário Estadual de Saúde.

A nova promessa é de que pelo menos o Centro de Especialidades, que nunca foi usado, vai passar por reformas e começará a funcionar até, no máximo, o início do ano que vem.

Haja paciência.


por:

João Nieckars

Advogado, economista e professor de direito empresarial

Ver mais colunas

LEIA TAMBÉM

Subir ou Sumir: o drama do Paraná Clube

14/09/2022 – 08:47:04 Luiz Felipe Como um admirador dos mais amadores do futebol, me chamou atenção a situação do...

O rádio, o Brasil e a história

07/09/2022 – 07:18:30 André Luís A. Silva A primeira transmissão oficial de rádio no Brasil foi feita pelo presidente...

Entre a insanidade e a barbárie: qual o limite do ser humano?

05/09/2022 – 08:01:41 Luiz Felipe Eu confesso a vocês que pensei mais de uma vez sobre escrever esse texto ou não. E esse...

A História e o ofício do historiador

18/08/2022 – 14:51:44 André Luís A. Silva Celebrado no dia 19 de agosto, o dia do historiador, no Brasil, é uma data que...